EPISTEMOLOGIAS FEMINISTAS
Código: 42099
ECTS: 9
Departamento: Departamento de Ciências Sociais e de Gestão
Área Científica: Ciências Sociais
Docente:
Teresa Joaquim
Área Científica: Antropologia; Filosofia; Estudos sobre as Mulheres
Correio Eletrónico: tjoaquim@uab.pt

Sinopse:

O seminário está organizado em 4 módulos, 4 eixos de discussão teórica em que serão analisados textos sobre o modo como um determinado tipo de paradigma técnico-científico que marcou a modernidade foi questionado, em particular, pelas teorias críticas feministas e nelas especificamente pelo conceito analítico de género.

Pretende-se também compreender esta categoria de análise na intersecção com outras categorias como as de raça e classe e dar instrumentos teórico-analíticos de modo a permitir a compreensão da diversidade epistemológica da construção dos saberes

 Haverá ainda um outro momento em que a partir das criticas ao “universalismo” de alguma teoria feminista aprender a  reconhecer as diferenças e abrir para um pensamento da localização e de abertura para autor@s “ fora do centro” (Ella Shoat) e que permite, eventualmente, um percurso de “descolonização do conhecimento”, a partir de outras abordagens teóricas.

Pretende-se deste modo que este percurso possa contribuir para uma melhor fundamentação da compreensão do mundo contemporâneo.


 


Competências:

Espera-se dos/as estudantes que:
•    procedam a um estudo sistemático e aprofundado da matéria em estudo;
•    desenvolvam um raciocínio crítico relativo à matéria em lecionação;
•    aprendam a construir um texto argumentativo  e crítico na área das ciências sociais.


 


Conteúdos:
1. Questões epistemológicas: teorias críticas contemporâneas; teorias feministas.
2. Questões epistemológicas: a construção de diferenças e de desigualdades.
3. Questões epistemológicas:conhecimentos "fora do centro".
4. Questões epistemológicas: (re)pensando percursos.


 


Bibliografia:
Crespo, A. I.; Ferreira, A.M.; Couto, A. G.; Cruz, I.; Joaquim, T. (org.) Variações sobre Sexo e Género. Lisboa: Livros Horizonte, 2008
hooks, b. (1984/2004), «Mujeres negras: dar forma a la teoria feminista», in hooks, b., Brah, A., Sandoval, C. & Anzaldúa, G.(Orgs.), Otras inapropriables: feminismos desde las fronteras, Madrid, T de Sueños, pp. 33-50.
Collins, P. Hill (2000) Black feminist thought: Knowledge, consciousness, and the politics of empowerment, N. York: Routledge.


Franken, M; Woodward, A. and al (ed) (2009), Teaching Intersectionality:Putting Gender at the Centre, Utrecht:ATHENA
Haraway, D. (1985/2004) «Manifesto Ciborgue», in Macedo, A. G. (Orga.),Género, Identidade e Desejo: Antologia Crítica do Feminismo Contemporâneo, Lisboa, Cotovia,pp. 221-250.
Harding, S. (2004) The Feminist Standpoint Theory Reader: Intellectual and Political Controversies,   Routledge
Mohanty, Ch. T. (2003) Feminism without borders - decolonizing theory, practicing solidarity, Durham: Duke Univ.Press

Nota: Bibliografia e recursos áudio e vídeo complementares serão disponibilizados na turma virtual.


 


Total de Horas de Trabalho: 234
Total de Horas de Contacto: 36

Avaliação:
A avaliação tem caráter individual e implica a coexistência de duas modalidades: avaliação contínua (60%) e avaliação final (40%). Essa avaliação será desenvolvida na aplicação de formas diversificadas, definidas no Contrato de Aprendizagem da unidade curricular.


Observações:
A frequência desta unidade curricular exige conhecimentos da língua inglesa, capazes de permitir a leitura e interpretação de textos.