SOCIOLOGIA DA FAMíLIA
Código: 42048
ECTS: 6
Departamento: Departamento de Ciências Sociais e de Gestão
Área Científica: Sociologia
Palavras-Chave:
    1. História da Família
    2. Família Contemporânea
    3. Família, Género e Trabalho
Docente:
Cristina Pereira Vieira
Área Científica: Política Social; Serviço Social; Sociologia; Sociologia da Saúde.
Correio Eletrónico: cristina.vieira@uab.pt

Sinopse:
A unidade curricular Sociologia da Família (UC Soc. Fam.) tem como objetivos situar a emergência da sociologia da família no quadro do pensamento sociológico ocidental, desde o século XIX até aos nossos dias. Ao nível da esfera pública, procuramos olhar para uma rede de influências múltiplas sobre o conceito de família, com as grandes transformações que se operam no quadro familiar contemporâneo, no sistema produtivo e nos sistemas de valores. Ao nível da esfera privada procuramos refletir, a partir do plano das atitudes sobre os papéis de género e sexuais, para a problematização de algumas questões que perpassam a promoção da igualdade de género e dos Direitos Humanos.


Competências:
• Apresentar as grandes linhas do pensamento sociológico, historicamente situado, por relação ao objeto de estudo e reflexão da Sociologia da Família;
• Desconstruir a diversidade das conceções, estrutura, formas e tipos de família na atualidade;
• Refletir de forma crítica sobre as várias perspetivas apresentadas, bem como sobre os conceitos de família;
• Perspetivar a família enquanto fenómeno que se articula intimamente com outros fenómenos que compõem a estrutura e as dinâmicas sociais.
• No contexto das transformações sociais, refletir sobre formas de práticas e representações de género, inscritas numa ordem que é ditada pela ”naturalização” dos papéis sociais.
• Problematizar causas e consequências determinadas pela hierarquia de poderes, sobretudo do ponto de vista da promoção da igualdade de género, enquadrada como uma questão de Direitos Humanos.
• Refletir e problematizar de forma crítica entre as possíveis abordagens propostas na bibliografia, articulada com a pesquisa necessária e autónoma d@s estudantes.

 


Conteúdos:
1 -  Sociologia da Família e do Género - Introdução ao Discurso
2- Construção da Identidade de género – questionamento das relações
3-  Relações sociais de género. Violências de Género e desigualdades nas relações de poder.

4- Análise sociológica dos processos de mudança dos modelos familiares e as relações sociais de género  - uma abordagem a partir do conceito Interseccionalidade.

 


Bibliografia:
Recursos em espaço de aula/ seminário:  será disponibilizada Bibliografia e recursos áudio e vídeo

Bibliografia sugestão para consulta
Leandro, Maria Engrácia (2001) Sociologia da Família nas Sociedades Contemporâneas, Lisboa, Universidade Aberta, 334p.
Almeida, A.N. (2003) Família, Conjugalidade e procriação: valores e papéis. In Vala, J. et al (org), Valores Sociais: mudanças e contrastes em Portugal e na Europa, Lisboa, Imprensa de Ciências Sociais, pp. 47-93.
Amâncio, L. (1994); Masculino e Feminino. A construção social da diferença. Porto, Edições Afrontamento.
Amaro, F. (2014), Sociologia da Família, Lisboa, Pactor.
Costa, D.; Vieira, C.P. & Neves Sofia  (2018).Participação de jovens na prevenção da violência de género: o caso do Projeto Igualdade do Agrupamento de Escolas Lima de Freitas. In Violências no Namoro. Neves, S. &Correia, Ariana (Coord.). Edições ISMAI. pp 175 - 204
Crompton, R. (2006); Employment and the family. The reconfiguration of work and family life. in contemporary societies, Cambridge University Press.
Fernandes, A. T. (2005); Trajectos de aquisição do poder no feminino. in Sociologia, n.º 15, pp. 55-77, Faculdade de Letras do Porto.
Giddens, A. (2000), 2ª edição. Família, Casamento e Vida pessoal. In Sociologia.  pp. 175-212. Fundação Calouste Gulbenkian.
Guerreiro, M. D. (coord.), (1998); Trabalho, família e gerações. Conciliação e solidariedades, CIES.
Kaufmann, J-C (1999) La femme seule et le prince charmant – enquête sur la vie en solo. Paris: Nathan.
Leandro, M.E. (2001) Sociologia da Família nas Sociedades Contemporâneas, Lisboa, Universidade Aberta, 334p.
Neves, S; Costa, D. (orgs), (2017) Violências de Género. Edições ISCSP/ CIEG – Coleção Estudos de Género.
Parsons, T.; Bales, R. (1955) Family, Socialization and Interaction Process, New York, Glencoe: The Free Press of Glencoe.
Portugal, S. (2014), Famílias e Redes Sociais, Coimbra, Almedina.
Torres, A. (2001) Sociologia do Casamento – A família e a Questão feminina. Oeiras: Celta Editora.
Torres, A. (2010). Mudanças na Família. O privado na agenda pública. Apresentada no âmbito das Provas de Agregação em Sociologia. Lisboa: ISCTE/IUL. Pp40-44. Este texto pode ser consultado em:http://analiatorres.net/pdf/agregacao/Mudan%C3%A7asnaFamiliaOPrivadonaAgendaPublica.pdf
Torres, A. (2010). Relatório da Unidade curricular Sociologia da Família Teorias e Debates. Apresentada no âmbito das Provas de Agregação em Sociologia. Lisboa: ISCTE/IUL. – 116-122; 160-167; Pp. 123-159, 175-200. Este texto pode ser consultado em:http://analiatorres.net/pdf/agregacao/RelatoriodaUCSociologiadaFamiliaTeoriasedebates.pdf
Ventura, I. (2018). Medusa no Palácio da Justiça ou Uma História de Violação Sexual. Tinta da China
Vieira, C.P. (2012). Eu faço sexo amoroso - A sexualidade dos jovens pela voz dos Próprios, Lisboa, Editorial Bizâncio.
 Vieira, C.P. (2017). Sexualidade e Género: educar para um social plural. In Violência de Género. Neves, S. &Costa, Dália (Coord.).Edições CIEG. pp317- 337.
Wall, K. (org.); (2005) Famílias em Portugal. Liboa, Instituto de Ciências Sociais.
Wall, K. Amâncio, L. (orgs.), (2007) Família e Género em Portugal e na Europa, Lisboa, Instituto de Ciências Sociais.
 



 


Metodologias de Ensino:
E-learning (completamente online).


Total de Horas de Trabalho: 156
Total de Horas de Contacto: 15

Avaliação:
A avaliação tem caráter individual e implica a coexistência de duas modalidades: avaliação contínua (60%) e avaliação final (40%). Essa avaliação será desenvolvida na aplicação de formas diversificadas, definidas no Contrato de Aprendizagem da unidade curricular.


Observações:
 A frequência desta unidade curricular exige conhecimentos da língua inglesa, capazes de permitir a leitura e interpretação de textos.