HISTóRIA POLíTICA E SOCIAL CONTEMPORâNEA
Código: 42052
ECTS: 9
Departamento: Departamento de Ciências Sociais e de Gestão
Área Científica: História
Palavras-Chave:
    1. História das Mulheres
    2. História Contemporânea
    3. Género
    4. História Relacional
Docente:
Teresa Pinto
Área Científica: História.
Correio Eletrónico: teresa.pinto@netcabo.pt

Sinopse:
A História das Mulheres tem introduzido na ciência histórica novos temas de investigação, novos conceitos, como o de género, e novas metodologias que têm contribuído para a problematização crítica dos conhecimentos históricos e dos seus fundamentos epistemológicos.
Perspetivando a História das Mulheres como história relacional, no sentido de compreender o modo como as relações sociais entre mulheres e homens se redefinem em cada momento histórico, na intersecção com outras variáveis, pretende-se, nesta Unidade Curricular, problematizar a complexidade do processo histórico e as suas contradições.
Esta abordagem será realizada através da reflexão sobre temas centrais que proporcionem uma compreensão mais aprofundada da coexistência de conquistas e de retrocessos nos processos de construção da igualdade entre mulheres e homens na sociedade contemporânea.

 


Competências:
Aplicação correta de conceitos relevantes para a História das Mulheres, como género, história relacional, feminidade, masculinidade, domesticidade, igualdade, feminismo(s).
Problematização das atuais relações sociais entre mulheres e homens enquanto resultado de processos de (re)construção histórica tendo em conta as dinâmicas dos distintos contextos espácio-temporais.
Produção de pensamento crítico fundamentado sobre as relações sociais entre mulheres e homens na época contemporânea.

 


Conteúdos:
1. Género, etnia, classe, idade – ferramentas de historicização das relações sociais entre os sexos
2. Mulheres e domesticidade numa perspetiva histórica
3. Género e trajetórias de poder, de resistência e de consentimento
4. Género e história do colonialismo e do pós-colonialismo
5. Políticas para a igualdade entre mulheres e homens numa perspetiva histórica comparada


 


Bibliografia:
Bock, Gisela (1989), "História, História das Mulheres, História do Género", Penélope. Fazer e Desfazer História, nº4, pp. 158-187.

Cappellin, Paola; Vincenti, Alessandra (2008), "Entre tutela, promoção e novas discriminações de género nos anos 1990:confronto sul-norte", ex aequo, nº17, pp. 11-33. URL: http://www.scielo.mec.pt/pdf/aeq/n17/n17a02.pdf

Duby, Georges, Perrot, Michelle (dir.) (1994/95), História das Mulheres no Ocidente, vol. 4 e 5, Porto, Ed. Afrontamento.
Nash, Mary (2005), As Mulheres no Mundo. História, desafios e movimentos, Editora Ausência, V.N. Gaia.

Pinto, Teresa, Alvarez, Teresa (Coord.) (2014), «Dossiê: História, História das Mulheres, História do Género. Produção e transmissão do conhecimento histórico, ex aequo, nº 30, 2014, pp. 7-78, URL: http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_issuetoc&pid=0874-556020140002&lng=pt&nrm=i

Scott, Joan Wallach (2010),"Fantasmes du millénaire: le futur du « genre » au XXIesiècle", Clio. Femmes, Genre, Histoire [En ligne], 32, URL : http://clio.revues.org/9840.

Silva, Maria Regina Tavares da (2010), National Mechanisms for Gender Equality in EU Member States and Candidate Countries and other Developed Economies of the UNECE Region, United Nations, URL: http://www.unece.org/fileadmin/DAM/Gender/publication/UNECE_2010_Regional%20study_EU%20et%20al.pdf

Smith, Bonnie G. (2010) "Les femmes dans l’histoire mondiale", Clio. Femmes, Genre, Histoire [En ligne], 32, URL: http://clio.revues.org/9894.

Thompson, L. B. (2017). "Gender Equality in International Institutions: Progress and Challenges in Moving Toward Gender Parity." Inquiries Journal, 9(02). Retrieved from http://www.inquiriesjournal.com/a?id=1539

Nota: Bibliografia e recursos áudio e vídeo complementares serão disponibilizados na turma virtual.


 


Metodologias de Ensino:
E-learning (completamente online).


Total de Horas de Trabalho: 234
Total de Horas de Contacto: 36

Avaliação:
A avaliação tem caráter individual e implica a coexistência de duas modalidades: avaliação contínua (60%) e avaliação final (40%). Essa avaliação será desenvolvida na aplicação de formas diversificadas, definidas no Contrato de Aprendizagem da unidade curricular.