SEMINáRIO DE APROFUNDAMENTO METODOLóGICO I
Código: 23001
ECTS: 15
Departamento: Departamento de Ciências e Tecnologia
Área Científica: Ciências do Ambiente
Palavras-Chave:
    desenhos de investigação
    epistemologia
    investigação e intervenção social
    artigos de investigação
Docente:
Sandra Caeiro
Área Científica: Ciências do Ambiente.
Correio Eletrónico: scaeiro@uab.pt

Sinopse:
A Unidade Curricular está dividida em 5 grandes partes.
Iniciamos com um debate sobre os métodos qualitativos e quantitativos que termina na procura da superação deste debate e na referência aos de métodos mistos. Aborda-se o tema dos desenhos de investigação (conceito, objetivos, tipos e critérios de seleção). Distinguem-se os desenhos experimentais puros dos pré-experimentais e dos quase-experimentais, com referência também à investigação não experimental (ex-post-facto).
No segundo módulo (Epistemologias e investigação) pretende-se introduzir o contacto com perspetivas distintas sobre a construção do conhecimento e suas implicações científicas, éticas e politicas na abordagem das realidades sociais e culturais diversas. Pretende-se dar instrumentos teórico-analíticos de modo a permitir a compreensão da diversidade epistemológica da construção dos saberes.
Em Empresas e Epistemologias Críticas apresentam-se correntes epistemológicas recentes (surgidas no último quartel do século XX) e cruzando-se estas com o tema da responsabilidade social das empresas (RSE). Partindo de um conceito amplo de RSE, percebemos o papel das abordagens pós-modernistas nas ciências sociais e no estudo das organizações, através da critical management studies.
Investigação e Intervenção Social inicia-se com a descrição da evolução ocorrida nas Ciências Sociais desde o século XIX, a partir da qual se identificam dois estilos de encarar o envolvimento do investigador, dos quais emerge os conceitos de Sociologia de Intervenção, de Investigação (Pesquisa)-Ação, etc. Seguidamente, discutir-se-á o conceito de intervenção social e os principais elementos que o integram, nomeadamente as suas áreas-chave, as diversas escalas e domínios de atuação e os seus efeitos na sustentabilidade.
O último módulo aborda a publicação científica na área da produção e consumo sustentável. Numa primeira fase são explorados os principais conceitos, políticas e boas práticas internacionais de promoção da produção e consumo sustentável. Posteriormente, discute-se como se deve elaborar e organizar um artigo científico nesta área de estudo. Serão analisados em detalhe artigos científicos, construindo o modelo de análise da investigação realizada e avaliando a qualidade científica do artigo.


Competências:
  1. Distinguir desenhos de investigação
  2. Analisar as vantagens e os problemas que se colocam ao investigadores perante os desenhos de investigação
  3. Discutir a relação entre investigação e epistemologias a diversos níveis (filosófico, político, metodológico, etc.)
  4. Conhecer as implicações do posicionamento ontológico e epistemológico na investigação
  5. Debater o papel das epistemologias críticas nas ciências sociais e organizacionais, nomeadamente na Responsabilidade Social das Empresas
  6. Identificar o caldo de culturas das Ciências sociais e da Intervenção Social
  7. Adequar estratégias de investigação no estudo da sustentabilidade da intervenção social
  8. Identificar e adequar estratégias e método de investigação no estudo da promoção e consumo sustentável.


Conteúdos:
C1. Desenhos de investigação (docente Filomena Amador)
  1. Coerência teórica versus coerência metodológica
  2. Estudos quantitativos, qualitativos e mistos
  3. Análise do "estudo de caso": aspetos positivos e limitações
 
C2. Epistemologias e investigação (Docente: Teresa Joaquim)
  1. A diversidade ou pluralidade epistemológica da ciência
  2. Escolha de um paradigma de investigação a partir da pluralidade de perspetivas epistemológicas
 
C3. Empresas e epistemologias críticas (Docentes João Simão)
  1. Conceito de RSE
  2. Epistemologias críticas nas ciências sociais e organizacionais
  3. Aplicação das epistemologias críticas à RSE
 
C4. Investigação e intervenção social (Docentes: Hermano Carmo)
  1. 0 caldo de cultura das Ciências Sociais e intervenção social
  2. A sociologia de intervenção
  3. Um mapa conceptual da sustentabilidade
  4. Investigação de caso de sustentabilidade social de um programa de intervenção social
C5. Investigação em Produção e Consumo Sustentável (docentes Célia Dias Ferreira e Sandra Caeiro)
  1. Conceitos de produção e consumo sustentável
  2. Análise de exemplos de Investigação sobre produção e consumo sustentável


Bibliografia:
Banerjee (2008) Corporate Social Responsibility: the good, the bad and the ugly. Critical Sociology, 34(1),51-79.
Caeiro, S., Ramos, T., & Husingh, D. (2012) A conceptual model for the development and evaluation of household sustainable consumption indicators. Journal of Cleaner Production. 27. 72 - 91.
Carmo, H. (2014) Coord., Intervenção social com grupos, Lisboa, ISCSP-UL e Universidade Aberta.
Chevalier, J.M. & Buckles, D.J. (20l3). Participatory Action Research. Oxon, Routledge.
Grix, J. (2002) Introducing students to the generic terminology of social research. Politics, 22(3)175-186.
Hess, R. (1982) Sociologia de Intervenção, Lisboa, Rés.
Kincheloe,J. & McLaren (2005) Rethinking critical theory and qualitative research. In Norman Denzin & Yvonna Lincoln (eds).
Kuhn, T.( 2009) A estrutura das revoluções científicas, Lisboa: Editora Guerra e Paz
Sousa Santos, B., Nunes, J. & e Menezes, M. (2004) Para ampliar o cânone da ciência: a diversidade epistemológica do mundo.
 


Metodologias de Ensino:
E-learning


Total de Horas de Trabalho: 390
Total de Horas de Contacto: 65

Avaliação:
A avaliação contínua faz-se através da participação adequada nos fóruns e/ou com trabalhos (grupo ou individuais)- 70 %. Critérios de avaliação: rigor e clareza da comunicação; capacidade de síntese e relevância dos conteúdos.
Trabalho final do semestre-30%. Critérios de avaliação: âmbito de análise; conceitos; problematização, reflexão própria; metodologia (se aplicável); clareza, síntese e rigor do texto.


Observações:
A metodologia de trabalho fundamenta-se no modelo pedagógico da UAb para o 3o ciclo na variante classe virtual. As atividades de ensino-aprendizagem decorrem na plataforma Moodle, onde é privilegiada a comunicação assíncrona.
Sugere-se que o doutorando:
  • programe semanalmente o trabalho;
  • acesse diariamente à plataforma, ao espaço da UC;
  • analise os materiais de aprendizagem propostos e literatura base recomendada,
  • proceda a pesquisa;
  • elabore reflexões individuais, discutindo e analisando em fóruns de discussão e de dúvidas moderados pelos docentes.