LITERATURAS DE LíNGUA PORTUGUESA
Código: 51155
ECTS: 6
Departamento: Departamento de Humanidades
Área Científica: Sem Área Cientifica
Palavras-Chave:
    Memória
    Identidade
    Representações Literárias
    Literatura Moçambicana
Docente:
Ana Rita de Sá Soveral Padeira
Área Científica: Literatura - Estudos Portugueses
Correio Eletrónico: anarita@uab.pt

Sinopse:
A unidade curricular - LITERATURAS DE LÍNGUA PORTUGUESA – 51155 - estuda os temas da Identidade e da Memória no âmbito da literatura dos países africanos de língua oficial portuguesa, designadamente, Angola e Moçambique num percurso que, passando pelos respetivos momentos de afirmação destas duas literaturas, se estenderá até à pós--independência e atualidade, através de um corpus selecionado de autores cujos textos ilustram o caminho percorrido e o desejo de afirmação (e de construção literária) do ideal nacional em face das incertezas da contemporaneidade.
Na referida seleção textos literários, constituída enquanto painel multifacetado que acolhe influências, culturas e tradições diversas, foram incluídos alguns nomes representativos da literatura angolana e da literatura moçambicana, tais como, António Jacinto, Agostinho Neto, José Craveirinha, Rui Knopfli e Luís Carlos Patraquim, na poesia, mas, também, Luandino Vieira, José Eduardo Agualusa, Pepetela, Luís Bernardo Honwana, Mia Couto e Ungulani Ba Ka Khosa, entre outros, na ficção narrativa.
É através da leitura e do estudo dos textos literários que fundamentalmente se procurará descortinar a forma como os diferentes escritores fixaram a representação da (s) identidade (s) literária(s), da memória, da história e da tradição, analisando e confrontando a multiplicidade de tendências literárias e estéticas que emergiram em ambos os países.
A referida seleção (países, autores e obras) será renovada a cada triénio.
 


Competências:
- Identificar e caracterizar os contextos históricos e as épocas literárias no âmbito da literatura moçambicana e da literatura angolana;

- Identificar e caracterizar espaços e principais protagonistas que emergiram na literatura de ambas as nações;

- Confrontar os aspetos em comum e os antagonismos que resultam da representação da identidade, da história e da memória nas literaturas em causa;

- Correlacionar os conceitos de identidade, memória, história, oralidade e tradição no panorama das produções literárias angolana e moçambicana;

- Analisar e interpretar textos literários enquanto repositórios da memória e da construção do ideal nacional;

- Relacionar pontos de vista teórico-críticos com a produção literária selecionada dos autores antologiados.
 


Conteúdos:
Tema 1 - Nos trilhos da identidade, memória, tradição e oralidade
1.1.Literatura moçambicana e literatura angolana - enquadramento genérico
 
Tema 2 – A literatura moçambicana e a construção do ideal nacional: perspetiva de um percurso
2.1. Caminhos da poesia
A construção da moçambicanidade
O pós-independência e a experiência estética do intimismo
2.2. Pelos caminhos da ficção - a narrativa breve
Temáticas do quotidiano. Entre o real e o onírico
A reinvenção da língua portuguesa  –  Vozes Anoitecidas
 
Tema 3 – A literatura angolana e a construção literária da nação: momentos determinantes de um percurso
3.1. Caminhos da poesia
A emergência da poesia da angolanidade
O pós-independência e a subversão dos modelos literários da metrópole
3.2. Caminhos da nova ficção
Pepetela e a presença da História no romance
O estilhaçar da identidade (real e literária) - Nação Crioula de J. E. Agualusa



Bibliografia:
AAVV. Antologias de Poesia da Casa dos Estudantes do Império (1951-1963), 2 vols. (Angola e Moçambique), Lisboa, ACEI, 1994. (Versões adaptadas disponibilizadas em pdf)

AGUALUSA, J. E. Nação crioula. A correspondência secreta de Fradique Mendes (1ª ed 1997). (qualquer edição). Leitura integral obrigatória.

COUTO, Mia. Vozes Anoitecidas (1ª ed. 1990) (qualquer edição). Leitura integral obrigatória.

FERREIRA, Manuel. Literaturas Africanas de Expressão Portuguesas, I e II. Biblioteca Breve, ICALP, 1986.

FONSECA, Mª Nazareth Soares. Literatura e oralidade africanas: mediações. MULEMBA. RJ: UFRJ, v. 14, n. 2, pp 12-23, jul/dez 2016. ISSN: 2176-381X (pdf disponibilizado)

LARANJEIRA, Pires. Literaturas Africanas de Expressão Portuguesa. Universidade Aberta, 1995.
________________. Ensaios Afro-Literários. Novo Imbondeiro, Lisboa, s.d..

LEITE, Ana Mafalda. Oralidades & Escritas nas Literaturas Africanas. Edições Colibri, Lisboa (1998).

MARGARIDO, Alfredo. Estudos sobre Literaturas das Nações Africanas de Língua Portuguesa. A Regra do Jogo, Lisboa (1980).

MENDONÇA, Fátima. «A Literatura moçambicana em questão», Discursos, 9 (1995), 37-51. (pdf disponibilizado)

PADILHA, L. Cavalcante. “Da construção identitária a uma trama de diferenças - um olhar sobre as literaturas de língua portuguesa». Revista Crítica de Ciências Sociais [Online], (Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra) 73, 2005, colocado online no dia 01 Outubro 2012, criado a 01 Outubro 2016. URL : http://rccs.revues.org/950 DOI : 10.4000/rccs.950 (pdf disponibilizado)

PEPETELA. Contos de morte (2008) (qualquer edição). Leitura integral obrigatória

NOTA: Ao longo do semestre, serão disponibilizados recursos online específicos para cada tópico temático.
 


Metodologias de Ensino:
E-learning



Total de Horas de Trabalho: 156
Total de Horas de Contacto: 15

Avaliação:
O regime de avaliação preferencial é o de avaliação contínua, constituída pela realização de 2/3 e-folios (trabalhos escritos em formato digital), ao longo do semestre letivo, e de um momento final de avaliação presencial (p-fólio), a ter lugar no final do semestre, com peso de, respetivamente, 40% e 60% na classificação final. Os estudantes podem, no entanto, em devido tempo, optar um único momento presencial de avaliação, realizando, então uma prova de Avaliação Final (exame) com o peso de 100%.