AMBIENTE, SAúDE E BEM-ESTAR
Código: 41104
ECTS: 6
Departamento: Departamento de Ciências Sociais e de Gestão
Área Científica: Sociologia
Palavras-Chave:
    Ambiente e Sociedade
    Saúde e Sociedade
    Interações Ambiente, Saúde Humana e Bem-Estar
Docente:
Maria de Fátima Alves
Área Científica: Sociologia.
Correio Eletrónico: fatimaa@uab.pt

Sinopse:
A Unidade Curricular coloca em evidencia a complexidade dos campos do ambiente e saúde e a importância de os compreender enquanto construções sociais espacio-temporalmente determinadas e instrumentos heurísticos de discussão das sociedades. A crise ambiental, a degradação dos ecossistemas e suas consequências na saúde e no bem-estar das populações resultantes da atual transição demográfica, assim como da crescente depleção de ‘recursos naturais’ (cujo acesso é desigual e tende a agravar-se), perdas de biodiversidade e agressões à geodiversidade bem como das alterações climáticas, desafiam as sociedades na sua organização e modos de vida. Para compreender a sua configuração, causas, e lidar com as consequências, convocam-se as múltiplas dimensões, estabelecidas entre o ambiente, as estruturas e os sujeitos. A sua complexidade exige uma abordagem holística.


Competências:
- Problematizar o ambiente, a saúde e o bem-estar enquanto construções sociais espacio-temporalmente determinadas;
- Conhecer, analisar e compreender os impactos da crise ambiental na organização social em geral e na saúde humana e bem-estar em particular;
 - Analisar criticamente a governação do campo ambiental de modo a identificar as concepções subjacentes às politicas, aos programas, organizações  e profissionais que as implementam;
- Identificar e problematizar a dimensão económica da ‘questão ambiental’ (transformando saberes e recursos em mercadorias);
- Identificar e analisar criticamente os desafios societais que a questão ambiental introduz, num contexto global multiescalar;
- Conhecer e problematizar a pluralidade de conhecimentos e praticas sócio-culturais em torno do ambiente, bem como os desafios que coloca às ciências sociais;
- Conhecer e desconstruir as formas de participação social incorporadas na gestão global da questão ambiental e sua importância para a mudança e transformação social;
- Analisar contextos e conceber planos de ação local, de intervenção ao nível da prevenção e promoção da crise ambiental e saúde.


Conteúdos:
1.    Ambiente, Saúde e Bem-estar enquanto construções sociais espacio-temporalmente determinadas;
2.    Crise ambiental, organização social, modos de vida e desigualdades sócio-ambientais;
3.    Governação do ambiente e saúde: entre o estado, o mercado e a comunidade;
4.    Desafios Societais na era da Globalização: ciência, economia, sociedade, saberes plurais, interculturalidades e ambiente;
5.    Estudo de caso: Adaptação às Alterações Climáticas nas suas dimensões de biodiversidade, segurança alimentar e saúde.


Bibliografia:
Schmidt, Luísa (1999), Sociologia do ambiente: genealogia de uma dupla emergência in Análise Social, vol. XXXIV (150), 175-210 http://analisesocial.ics.ul.pt/documentos/1218798852Q3dEI9rp2Qp57RC7.pdf
GIDDENS, A. (2010), A politica da mudança climática, Zahar Editores
Alves, Fátima (2015), Racionalidades Leigas e Produção Local de Saberes em Saúde, in Carapinheiro, Graça; Correia, Tiago (Org), Novos Temas da Saúde, Novas Questões Sociais, Lisboa: Mundos Sociais

Viegas, Vanda; Ulisses M. Azeiteiro; João Alveirinho Dias; Fátima Alves (2014). Alterações Climáticas, Perceções e Racionalidades. In Revista de Gestão Costeira Integrada / Journal of Integrated Coastal Zone Management, 14(3):347-363, disponivel online em http://www.aprh.pt/rgci/pdf/rgci-456_Viegas.pdf DOI:10.5894/rgci456
 
ALVES, Fátima; ARAÚJO, M. José; AZEITEIRO, Ulisses, (2012). “Cidadania ambiental e participação: o diálogo e articulação entre distintos saberes-poderes” in Revista Saúde em Debate, Centro Brasileiro de Estudos em Saúde, CEBES. Rio de Janeiro, v. 36, (n. especial de Junho Desenvolvimento e Sustentabilidade:desafios da Rio+20): 46-54. ISSN 0103-1104, Disponivel em: http://www.cebes.org.br/media/File/Revista_Saúde_em_Debate%20-%20Rio+20.pdf

Consultar Bibliografia adicional na Plataforma, nas Turmas, onde será disponibilizada.



Total de Horas de Trabalho: 156
Total de Horas de Contacto: 15

Avaliação:
O regime de avaliação preferencial é o de avaliação contínua, constituída pela realização de 2/3 e-folios (trabalhos escritos em formato digital), ao longo do semestre letivo, e de um momento final de avaliação presencial (p-fólio), a ter lugar no final do semestre, com peso de, respetivamente, 40% e 60% na classificação final. Os estudantes podem, no entanto, em devido tempo, optar um único momento presencial de avaliação, realizando, então uma prova de Avaliação Final (exame) com o peso de 100%.


Observações:
É fundamental que os/as estudantes entrem logo na primeira semana do semestre na UC em:
http://elearning.uab.pt