SOCIEDADE E CULTURA ALEMãS I
Código: 31108
ECTS: 6
Departamento: Departamento de Humanidades
Área Científica: Cultura
Palavras-Chave:
    Cultura e Identidade Nacional
    História (séc XVIII)
    Cultura burguesa (séc. XVIII)
    Formação (Bildung) e Experiência
Docente:
Cristiana Maria Santos Graça de Vasconcelos Rodrigues
Área Científica: Estudos Literários Comparados; Estudos Germanísticos.
Correio Eletrónico: cristiana.rodrigues@uab.pt

Sinopse:
Interessa, em Sociedade e Cultura Alemãs I, estudar fundamentalmente as raízes da sociedade contemporânea, focando o caso alemão em específico, nas suas vertentes cultural, política e social. Assim, estudar-se-á a Alemanha do século XVIII, apontando-se para aspectos histórica e ideologicamente específicos, sobretudo no que toca à percepção da sua identidade cultural e política.


Competências:
• Aquisição de conhecimentos genéricos e específicos sobre a sociedade e a cultura alemãs, nomeadamente o percurso histórico no século XVIII, dentro das vertentes política, social e cultural, que nos ajude a ter uma noção clara do que é o espaço geográfico falante da língua alemã, as suas matizes culturais diversas e a sua marca de identidade no contexto actual europeu.
• Compreensão e aplicação operativa de conceitos teóricos e de conhecimentos adquiridos a determinadas ocorrências históricas e culturais.
• Leitura crítica de fontes documentais e críticas seleccionadas, e o seu manuseamento no sentido da reflexão analítica e autónoma sobre determinada temática ou fenómeno.
• Capacidade de recolha, selecção e interpretação de dados relevantes para a análise de fenómenos ou de temas históricos, sociais ou culturais.
• Capacidade de confrontação de pontos de vista diversos sobre os mesmos fenómenos históricos e culturais.
• Comparação, argumentação e comunicação na exposição teórico-prática de temas, conceitos, fenómenos histórico-culturais.


Conteúdos:
• Cultura e identidade nacional: o caso alemão - uma introdução.

• A Alemanha do século XVIII e a formação do espaço intercultural europeu.

• A Alemanha do século XVIII e a cultura burguesa.


Bibliografia:
A bibliografia definitiva será disponibilizada no espaço da unidade curricular, a partir das seguintes referências e de outras que recomendamos atempadamente:
AMARANTE, Maria Antónia (1983), «As cadeias de Prometeu: Modos de afirmação e crise da cultura burguesa na Alernanha», in João BARRENTO (org.), Literatura e Sociedade Burguesa na Alemanha - Séculos XVIII e XIX, Lisboa, Apaginastantas, pp. 7-43.
 
BARRENTO, João (1989), Literatura Alemã. Textos e Contextos (1700-1900). Lisboa, Presença (2 vols.).  
BARRENTO (org.) (1983), Literatura e Sociedade Burguesa na Alemanha - Séculos XVIII e XIX. Introdução de Maria Antónia Amarante. Organização, glossário e notas de João Barrento, Lisboa, Apaginastantas.
 
BEUTIN, Wolfang (1993), História da Literatura Alemã, das origens à actualidade, vols. I e II, Cosmos/Apaginastantas. 
ELIAS, Norbert (1989) O Processo Civilizacional. Investigações sociogenéticas e psicogenéticas. Trad. de Lidia Campos Rodrigues. Lisboa, Pub. Dom Quixote 1989 (2 vols.)
 
HAZARD, Paul (1983), O Pensamento Europeu no século XVIII de Montesquieu a Lessing. Trad. Carlos G. Babo, Lisboa, Presença.
 
HERDER, Johann Gottfried (1987), Ensaio sobre a Origem da Linguagem, trad José M. Justo. , Lisboa, Antígona.  
HERDER, Johann Gottfried (1995), Também uma Filosofia da História para a Formação da Humanidade. Tradução, notas e posfácio de José M. Justo. Lisboa, Antígona.  
OPITZ, Alfred (Coord.) (1998), Sociedade e Cultura Alemãs, Lisboa, Universidade Aberta.
 
RUDÉ, Georges (1988), A Europa no Século XVIII, Lisboa: Gradiva.
 
SCHEIDL, Ludwig et al. (1993), Dois Séculos de História Alemã (Politica, Sociedade e Cultura). Coimbra, Fac. Letras.


Metodologias de Ensino:

E-learning.




Total de Horas de Trabalho: 156
Total de Horas de Contacto: 15

Avaliação:
O regime de avaliação preferencial é o de avaliação contínua, constituída pela realização de 2/3 e-folios (trabalhos escritos em formato digital), ao longo do semestre letivo, e de um momento final de avaliação presencial (p-fólio), a ter lugar no final do semestre, com peso de, respetivamente, 40% e 60% na classificação final. Os estudantes podem, no entanto, em devido tempo, optar um único momento presencial de avaliação, realizando, então uma prova de Avaliação Final (exame) com o peso de 100%.


Observações:
O manual de Alfred Opitz foi inicialmente pensado para alunos já familiarizados com a língua alemã, razão pela qual aparecem aí citações de textos em alemão. Este facto não deverá constituir um problema, pois daremos todo o apoio necessário à leitura desses excertos, disponibilizando a informação necessária ao longo do semestre e à medida que os temas vão sendo trabalhados.