CORRENTES ESTéTICAS EUROPEIAS
Código: 51143
ECTS: 6
Departamento: Departamento de Humanidades
Área Científica: Estudos Europeus
Palavras-Chave:
    1. Estética / estéticas
    2. Romantismo
    3. Realismo
    4. Modernismo / Pós-modernismo
Docente:
Cristiana Maria Santos Graça de Vasconcelos Rodrigues
Área Científica: Estudos Literários Comparados; Estudos Germanísticos.
Correio Eletrónico: cristiana.rodrigues@uab.pt

Sinopse:
Estando a estética ligada à reflexão filosófica, à crítica e teoria literárias e artísticas, o objectivo desta unidade curricular será o de introduzir o estudante nos grandes movimentos estéticos que traduzem mundividências e representações do homem e do mundo na obra de arte. Esta introdução concentra-se na escolha dos momentos mais significativos entre o Romantismo e o Pós-modernismo, destacando sucessivas rupturas, correntes e contra-correntes, e recuperando estéticas anteriores no tempo, quando necessário.
Em termos epistemológicos, esta unidade curricular circunscreve-se fora da disciplina filosófica ancestral (a Estética), filiando-se antes na reflexão "estética" de Setecentos, que constitui o berço do próprio termo. As correntes estéticas que são o objecto de estudo desta unidade curricular são, portanto, uma questão moderna, recente. As tendências, escolas, posturas e poetologias, que vêm sendo cada vez mais pulverizadas à medida que avançamos no século XX até aos nossos dias, não são em si mesmas e na sua especificidade o objecto de estudo desta unidade curricular, mas antes o que de alguma forma lhes é comum ou que ajuda a descrever as oscilações de sentido ou até mesmo as contradições intrínsecas aos 4 grandes núcleos definidos. Também porque falamos de uma unidade curricular generalista e introdutória, procura-se, a propósito de cada um dos núcleos seleccionados, sublinhar o que herdam da tradição que aparentemente questionam, e assim também apontar para as estéticas e estilos anteriores, que têm evidentemente um papel fundamental na definição e autodeterminação destas correntes.


Competências:
No final do estudo desta Unidade curricular, o estudante deverá ser capaz de:
• identificar as correntes estéticas transversais a todo o espaço europeu entre o Romantismo e o Pós-Modernismo, sua definção geral e traços distintivos;
• relacionar as correntes estéticas com o contexto sócio-cultural e histórico-político em que surgem;
• saber localizar a continuidade e a ruptura na génese das correntes estéticas.


Conteúdos:

Propõe-se introduzir quatro grandes núcleos de correntes estéticas europeias, que se irão estudar tranversalmente às várias artes e contextualizadamente no espaço europeu. São este núcleos:
1. Romantismo: a forma do fragmento; a percepção do paradoxo / ironia; memória e ruína;
2. Realismo: a forma do romance; a percepção da paisagem / figura; ciência e história;
3. Modernismo: a crise e busca da forma; a percepção do limiar / linguagem; caos, pathos e espiritualidade;
4. Pós-modernismo:  a pulverização das formas; a percepção do jogo / simulacro; desconstrução e intertextualidade.



Bibliografia:
Os recursos conceptuais e exemplos artísticos sobre cada um dos núcleos de correntes estéticas serão disponibilizados ao longo do semestre, na plataforma de e-learning. Alguns dos materiais da literatura crítica também disponibilizada na sala de aula virtual são:
SCHILLER, Friedrich, Textos sobre o belo, o sublime e o trágico, trad. de Teresa Cadete, INCM, Lisboa, 1997.
ECO, Umberto, História da Beleza, Difel, Miraflores, 2005.
ECO, Umberto, História do Feio, Difel, Miraflores, 2007.
Richard TARUSKIN, The Oxford Histpry of Western Music, vols. 3,4, e 5, Oxford University Press, 2010.
GOMBRICH, E. H., The Story of Art. London: Phaidon, 1989 (1950)
Florence de Mèredieu, Histoire matérielle et immatérielle de l'art moderne et contemporain, Larousse, 2008 (1994).
BRADBURY, Malcolm, James McFarlane (ed.s), Modernism, London: Penguin Books, 1991.
BARRENTO, João, A Espiral Vertiginosa. Ensaios sobre a cultura contemporânea, Lisboa: Cotovia, 2001.
W. Tatarkiewicz, Historia de seis ideas, Madrid: Tecnos, 2015 (ISBN 978-84-6505-2).
HABERMAS, Jürgen, "A Modernidade: um projecto inacabado?", Crítica, 2, Lisboa: Teorema, 1987, pp.5-23.
LYOTARD, Jean-François, "Resposta à pergunta: o que é o pós-moderno", in O Pós-Moderno explicado às crianças, Lisboa: D. Quixote, 1993, pp.11-27.


Metodologias de Ensino:
E-learning.



Total de Horas de Trabalho: 156
Total de Horas de Contacto: 15

Avaliação:
O regime de avaliação preferencial é o de avaliação contínua, constituída pela realização de 2/3 e-folios (trabalhos escritos em formato digital), ao longo do semestre letivo, e de um momento final de avaliação presencial (p-fólio), a ter lugar no final do semestre, com peso de, respetivamente, 40% e 60% na classificação final. Os estudantes podem, no entanto, em devido tempo, optar um único momento presencial de avaliação, realizando, então uma prova de Avaliação Final (exame) com o peso de 100%.