HISTóRIA DA LíNGUA PORTUGUESA
Código: 51151
ECTS: 6
Departamento: Departamento de Humanidades
Área Científica: Linguística
Palavras-Chave:
    1. Origem e evolução da língua portuguesa
    2. Léxico do português
    3. Geografia da língua portuguesa
Docente:
Isabel Maria dos Santos Falé
Área Científica: Linguística.
Correio Eletrónico: imsfale@uab.pt

Sinopse:
Nesta unidade curricular, estudaremos alguns aspectos da História da Língua Portuguesa, relacionando-os estreitamente com factores de ordem histórica, política e social.
De facto, considerando que o objecto da História da Língua Portuguesa é a descrição e análise das mudanças linguísticas que afectaram a língua portuguesa ao longo do tempo, e considerando que a mudança linguística decorre tanto de condicionalismos inerentes à própria língua, como de condicionalismos externos ao sistema linguístico, tal como as mudanças políticas, sociais e institucionais, nesta unidade curricular procederemos essencialmente ao estudo da articulação existente entre a Língua Portuguesa, sua formação, evolução e variedades, e os factos históricos que determinaram, impulsionaram e configuraram o seu desabrochar, as suas características e a sua actual geografia.


Competências:
No final desta unidade curricular, o aluno deverá estar apto a:
•traçar o percurso que conduziu ao despontar do romance galego-português no Noroeste da Península Ibérica, a partir do latim, e à emergência de uma língua nacional, o português, dando especial relevo ao papel dos factores de ordem histórico-social e cultural que intervieram neste processo; 
•identificar e conhecer a composição e estruturação do léxico do português, relacionando as suas características com diversos momentos históricos;
•conhecer, explicar e situar no tempo as principais mudanças linguísticas, a nível fonológico, morfológico, sintáctico e lexical, que afectaram a língua portuguesa desde o português antigo ao português dos nossos tempos;
•conhecer a geografia da língua portuguesa no mundo.


Conteúdos:
I. Do indo-europeu ao galego-português
1. As línguas românicas
2. O latim vulgar
3. A romanização da Península Ibérica
4. Substratos e superstratos na Península Ibérica e nascimento das línguas românicas
5. Impacto linguístico da Reconquista e afirmação do galego-português
II. O português na diacronia: alguns aspectos
1. Do galego-português ao português
2. A área de irradiação da norma do português
3. Estrutura e caracterização do léxico do português: breve panorâmica
III. Do português clássico ao português dos nossos tempos
1. Mudanças linguísticas terminadas à entrada do século XVI
2. O português da época clássica (características fonéticas, fonológicas e lexicais)
3. Do português clássico ao português setecentista (características fonéticas, fonológicas e lexicais)
4. Algumas inovações linguísticas mais recentes (sobretudo a nível fonético, fonológico e lexical)
IV. O português extra europeu
1. Geografia da Língua Portuguesa
2. O português do Brasil
3. O português em África
4. O português na Ásia


Bibliografia:

Bibliografia obrigatória:
CASTRO, Ivo, Curso de História da Língua Portuguesa, Lisboa, Universidade Aberta, 1991.

Bibliografia Complementar:
CARDEIRA, Esperança, História do Português, O Essencial sobre Linguística, Lisboa, Caminho, 2006.
CASTRO, Ivo, Introdução à História do Português, Lisboa, Edições Colibri, 2004.
PEREIRA, Dulce, Crioulos de Base Portuguesa, Colecção O essencial sobre Língua Portuguesa, Lisboa, Caminho, 2006.
TEYSSIER, Paul, História da Língua Portuguesa, Lisboa, Livraria Sá da Costa Editora, 2001 (ou outra edição desta obra).

Toda a restante bibliografia será fornecida online e a sua proveniência será devidamente indicada.



Metodologias de Ensino:
E-learning.



Total de Horas de Trabalho: 156
Total de Horas de Contacto: 15

Avaliação:
O regime de avaliação preferencial é o de avaliação contínua, constituída pela realização de 2/3 e-folios (trabalhos escritos em formato digital), ao longo do semestre letivo, e de um momento final de avaliação presencial (p-fólio), a ter lugar no final do semestre, com peso de, respetivamente, 40% e 60% na classificação final. Os estudantes podem, no entanto, em devido tempo, optar um único momento presencial de avaliação, realizando, então uma prova de Avaliação Final (exame) com o peso de 100%.